26 setembro 2009

Ai daquele que tentar algo contra um ungido de Deus! Proclama sua própria destruição!!!


Não aguento as pessoas que acham que ser cristão é estar em um pedestal sem erros e defeitos.

Temos nossos defeitos, somos críticos sim, falamos das pessoas entre amigos, observamos seus comportamentos, rimos, nos divertimos, somos normais.

A santidade e a espiritualidade do cristão não o fazem deixar de ser humano.

Nem sempre as pessoas entendem isso e esperam a perfeição em tudo, de preferência como elas gostariam que fôssemos.

Colocam uma expectativa de santidade divina em nós e qualquer opinião ou comportamento que as desagradam e que não condiz às suas expectativas; se revoltam e nos julgam. Não se frustraram conosco, mas com suas expectativas.

Defeitos são moldados pelo espírito e não por críticas e ataques.

Usam da palavra de Deus, sem terem conhecimento, não tem intimidade com a Palavra e a usam para tentarem justificar nossos erros ou parecerem espirituais. Isso é hipocrisia.

Geralmente são pessoas que não conhecem a “GRAÇA” de Deus

Somos livres. E realmente não temos merecimento algum, mas sabemos que mesmo assim, somos amados do Pai. Isso é que é lindo. Já não temos nada que provar nada prá ninguém.

“Somos livres para sermos aquilo para o qual fomos criados, sem nos preocupar em dar explicações.

Nosso objetivo já não é impressionar quem quer que seja, mas simplesmente servir e amar despretensiosamente.

E quanto mais nos livramos do jugo das expectativas humanas, mas deixamos livres as pessoas ao nosso redor.

Encerram-se as disputas e as comparações. Ninguém mais faz questão de ter a razão em tudo. Somos livres para amar e acolher, e sermos amados e acolhidos.

Só a graça promove um ambiente saudável onde os indivíduos possam crescer espiritual e emocionalmente.” Hermes Fernandes

A Palavra mostra claramente que Jesus não está condenando a avaliação dos outros. Temos que discernir entre o certo e o errado, e entre as pessoas que praticam as coisas de Deus e as que andam no erro. Mat 7:15-20 Ele ensina sobre o julgamento de professantes, pelos seus frutos (Mat 16:6,11-12).

É pelo fruto que conhecemos as pessoas. E na maioria das vezes são os mentirosos, hipócritas, imorais, os vaidosos que afrontam os escolhidos de Deus.

Deus também nos ensina a não repreender o ímpio. Se o fizermos, seremos afrontados. Não devemos lançar pérolas aos porcos; agora, se repreendermos ao sábio, ele nos amará: "O que repreende o escarnecedor, toma afronta para si; e o que censura o ímpio recebe a sua mancha. Não repreendas o escarnecedor, para que não te odeie; repreende o sábio, e ele te amará" Provérbios 9.7-8.

Diante de tudo isso, temos que ter sabedoria e muita paciência. E lembrarmos que repreender na carne é soberba, mas fazê-lo no Espírito pela Palavra que é viva e eficaz, é amor, é o caminho da vida.

Lembram de Miriã e Arão? No antigo Testamento, uma das maiores autoridades apontadas por Deus, foi Moisés. Moisés foi muitas vezes rejeitado e ridicularizado por muitas pessoas. Seus irmãos, Arão e Miriam desprezaram e criticaram sua autoridade. Eles misturaram assuntos de família com o trabalho de Deus.

Se sentiram no direito de censurar Moisés (e aparentemente estavam certos em falar do erro do irmão), mas quando falaram de Moisés, mexeram com Deus. Falar, caluniar contra um escolhido de Deus é sério. A autoridade espiritual delegada a alguém é opção divina, não é mérito humano.

Miriã ficou leprosa. A autoridade não foi dada pelos homens e sim estabelecida por Deus. E Ele não permite que toquem nos seus ungidos.

Moisés venceu as críticas que lhe foram feitas. Simplesmente, porque estava seguro de que sua autoridade fora dada por Deus.

Qualquer espírito de rebelião numa pessoa, Deus detecta antes de suas palavras. Suas palavras logo mostrarão sua rebelião, porque da abundância do coração, fala a boca.

Foi Deus que falou: Não toqueis nos meus ungidos, e não maltrateis os meus profetas. Salmo 105:15

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário